sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Estas são as novas tabelas de IRS para 2018!!!


Resultado de imagem para tabelas irs
Já foram publicadas em Diário da República as novas tabelas de retenção na fonte de IRS para 2018 e que se refletem nos salários, dos trabalhadores dependentes, e pensões já a partir deste mês.
Em vez dos cinco escalões que tinha desde 2013, o IRS passa a ter sete escalões de rendimento coletável. 
Este alargamento foi feito através de mexidas nas taxas e patamares de valores do 2º e 3º escalões o que assegura que, no próximo ano, todos os contribuintes com um rendimento mensal abaixo dos 3250 euros vão pagar menos de imposto. Uma das medidas mais caras do governo, aprovada em Orçamento do Estado, é a alteração às tabelas de IRS.

Esta redução terá reflexo na carteira já a partir do início deste ano no caso dos pensionistas e trabalhadores por conta de outrem. As tabelas de retenção na fonte foram ajustadas de forma a refletir esta mudança nos escalões e produzirão efeitos a partir de janeiro. Os contribuintes com um rendimento mensal acima dos 3250 euros também terão um desagravamento do IRS porque a sobretaxa de 3,5% foi eliminada.

Fonte: Dinheiro Vivo

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

O ano 2018 será de mudanças para os recibos verdes!!!


Resultado de imagem para recibos verdes
A chegada do próximo ano trará várias mudanças para quem passa recibos verdes.

Entre o conjunto de mudanças (fiscais e contributivas) que vão abranger os trabalhadores independentes em 2018, uma das mais significativas chega por via do regime simplificado. 

De janeiro em diante o fisco deixa de considerar de forma automática como despesa uma parcela do rendimento dos profissionais liberais, prestadores de serviços ou pequenos empresários e passa a exigir que provem esses gastos. A prova é feita com faturas. 

Com o novo regime serão mantidos os coeficientes atualmente existentes, contudo, a presunção de despesas ficará limitada a 10% no caso dos profissionais liberais e 50% no caso de outros prestadores de serviços”. 

Em relação aos profissionais liberais, os restantes 15% terão de ser comprovados, mas apenas em parte, já que (e esta é outra das mudanças que aí vêm para os recibos verdes) em 2018 terão, pela primeira vez, uma dedução específica de 4014 euros.

Na prática, e no caso especifico dos profissionais liberais, isto significa que apenas os rendimentos anuais ilíquidos superiores a 27 360 euros (2280 euros pagos em 12 meses) são obrigados a apresentar despesas relacionadas com a atividade. Até aí, a dedução específica assegura que não há alterações. 

Mas se o rendimento anual for, por exemplo, de 40 mil euros, será necessário arranjar despesas relacionadas com a atividade no valor de 1896 euros (ou 158 euros por mês). Sem faturas a atestar gastos desta ordem de grandeza, o imposto aumenta face ao que seria pago se as regras do regime simplificado não tivessem sido alteradas.

Fonte: Dinheiro Vivo

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Confira o que mexe no seu bolso a partir de janeiro de 2018?

Resultado de imagem para orçamento estado

Há vários ajustamentos nos impostos (para o bem e para o mal) que vão começar a afetá-lo a partir de janeiro. É na ida ao supermercado que mais se vai sentir o agravamento dos impostos especiais e as contribuições que penalizam o sal e o álcool. 

Mas não é só. O imposto do carro vai ser mais caro, tal como o gasóleo e a gasolina. O tabaco, que tem sido a grande vítimas dos orçamentos do Estado, desta vez escapou. 

E há boas notícias para quem quer partilhar carro, comprar carro elétrico, ou tem casas para reabilitar e quer poupar no IMI ou IMT.


Fonte: Dinheiro Vivo